Todos podem aprender?

Quem nunca pensou que não tem talento para algo? Aí surgem justificativas do tipo “não sou desta área”, ou até um “não nasci para isso”. Mas vou lhes dizer que não é bem assim. 

O nosso cérebro aprende tudo aquilo que praticamos. Tudo depende do quanto exercitamos. Cada um de nós possui inúmeras capacidades que vão se desenvolvendo mais e mais a partir de quanto a utilizamos e para quê. E este é o ponto que quero enfatizar.

Possuímos a máquina mais eficiente e versátil que existe, sendo assim, tudo o que quisermos aprender ou fazer, com treino e dedicação, conseguiremos. Se quisermos aprender idiomas? Conseguimos! Se quisermos aprender tocar um instrumento? Área de exatas ou humanas? Sim! Todos podemos desenvolver todas as habilidades.

Com exceção dos casos de problemas específicos de aprendizagem, bem como as tendências a aprender com mais facilidade determinadas coisas. Temos, por exemplo, segundo o psicólogo cognitivo Howard Gardner, as sete inteligências, onde ele propõe além de testes de QI, que possuímos uma tendência pessoal de resposta muito mais eficiente para áreas específicas. Ele afirma que cada uma delas está relacionada com uma área de nosso cérebro. Contemplam áreas interpessoal, intrapessoal, espacial visual, musical – auditiva, lógico – matemática, linguagem, corporal sinestésica. 

A partir disso, é que acredito no potencial que é movido pela dedicação. Por exemplo, se alguém diz que não tem talento para escrever, ou que não gosta de ler justificando que não consegue se concentrar, posso dizer que se essa pessoa se esforçar para ler, e se focar nem que tenha reler algumas páginas, ela vai obter um ritmo de leitura e evoluir sua interpretação, com o tempo lerá muito mais em menos tempo. E a escrita? Essa se desenvolve também pela prática, quanto mais se escreve, melhor vai se escrever. É o ato de praticar. Um exercício do cérebro que terá melhores resultados com o tempo.

Dessa forma, complemento dizendo que é com o exercício de ambas as partes, saindo da zona de conforto, se esforçando para trabalhar certa habilidade menos privilegiada, que podemos aprender muito mais coisas, desenvolver muitas outras áreas. 

Referencias utilizadas:

Como seu cérebro aprende?

Imagem retirada do link: 
https://www.selecoes.com.br/saude/10-dicas-para-melhorar-o-cerebro/


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *